Silves assinala Dia Nacional dos Centros Históricos


No âmbito das comemorações do Dia Nacional dos Centros Históricos, a Câmara Municipal de Silves dinamiza, no dia 28 de março, um programa especial de atividades com o objetivo de chamar a atenção de locais e de visitantes para a História do centro histórico silvense e para as suas peculiares características.
Quem visitar os monumentos da cidade das 10h às 13h e das 14h às 16h, poderá fazê-lo tendo por companhia um guia muito especial. No Castelo de Silves o anfitrião será o Rei D. Sancho I, na Igreja da Misericórdia será a Rainha D. Leonor e na Sé Catedral, os visitantes serão guiados pelo Bispo D. Jerónimo Osório. Diogo de Silves, Descobridor dos Açores fará as honras da casa no Museu Municipal de Arqueologia. Estes anfitriões entregarão ainda um pergaminho a todos os visitantes, com uma pequena descrição histórica de cada um dos imóveis.
As atividades prosseguem durante a manhã com o peddy paper «Descobrindo Detalhes da nossa História». Esta iniciativa é concertada com o projeto Desporto Sénior do concelho, sendo um convite a todos participantes deste projeto a percorrer as ruas do Centro Histórico e os seus monumentos ao mesmo tempo que, utilizando os seus conhecimentos e alguma astúcia, dão resposta a uma série de desafios que os irão pôr à prova em vários domínios: observação, perspicácia, conhecimentos da história da cidade e destreza física.
As atividades da manhã terminarão com um recital de harpa e canto por Helena Madeira. Procurando seguir um reportório antigo, esta harpista e intérprete utilizará o inspirador cenário da escadaria da Sé para ali fazer entoar melodias que remeterão os visitantes da cidade para um imaginário de outros tempos. Durante o período da tarde o público infantil e juvenil, com base em páginas da História de Silves em BD, será convidado a colorir e a reescrever a História. A iniciativa terá lugar no Museu Municipal de Arqueologia de Silves, pelas 14h. Já pelas 16h, as ruas mais frequentadas no centro histórico irão mostrar «O Museu fora de si». Aqui, através da afixação das imagens dos objetos mais relevantes expostos ou em reserva no Museu Municipal de Arqueologia de Silves, os visitantes serão convidados a uma visita ao Museu, que concentra objetos do quotidiano dos povos que habitaram a região de Silves desde a Pré-História à atualidade.
A programação deste dia fecha com a palestra «Às voltas com a Cruz, dita de Portugal», por Manuel Ramos, pelas 18h, no Museu Municipal de Arqueologia. Tendo em conta a importância da Cruz de Portugal e o facto de a mesma ter conhecido, ao longo dos tempos, diferentes implantações, este historiador de arte, especialista nos períodos Gótico e Manuelino, para além de abordar essa questão, irá também falar sobre as características estilísticas e as diversas interpretações funcionais que o imóvel tem conhecido. Para além das atividades dinamizadas neste dia, este pograma comemorativo integra ainda a abertura da exposição «Sistemas de Abastecimento de Água na Silves Medieval», no dia 31 de março, pelas 10h, na sala de exposições temporárias do Museu Municipal de Arqueologia.

0 comentários:

Enviar um comentário