Orblua e The Happy Mess atuam no Festival Som Riscado


No próximo sábado, dia 8 de abril, pelas 15h30, no Convento do Espírito Santo em Loulé, no âmbito do Som Riscado – Festival de Música & Imagem de Loulé, a banda algarvia OrBlua junta-se ao conhecido realizador e visualista Tiago Pereira (d’A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria) para a apresentação de um concerto inédito, intitulado «Mãos», em que, numa parceria com o projeto «Loulé Criativo», se explora e reinventa, numa leitura contemporânea, o universo dos ofícios tradicionais num diálogo entre som/música e imagem, sem esquecer várias profissões ligadas à realidade louletana.
Oriundos do Algarve, os OrBlua, compostos por Carlos Norton, Inês Graça e Nuno Murta, caraterizam-se pela originalidade das composições e pelo cariz multi-instrumentista dos três músicos que o compõem. Em palco, a banda utiliza cerca de 20 instrumentos desde os mais antigos, como a gralha, aos étnicos como a gaita-de-foles, o bouzouki ou o adufe, aos contemporâneos como o baixo elétrico ou o piano, até ao eletrónico uso de loop station. Um espaço onde se cruza o tradicional, o contemporâneo e o experimentalismo. OrBlua é um projeto criado em 2011, que conseguiu criar uma sonoridade lusa que cheira a Algarve, a mar, a serra, a Mediterrâneo, a Europa, a Mundo que recolhe cheiros, cores, histórias, memórias, paisagens e sonhos.
No mesmo dia 8, pelas 21h30, desta vez no Cine-Teatro Louletano, os The Happy Mess sobem ao palco para um concerto intenso e com uma forte componente visual. A banda é uma dos mais acarinhados projetos da Indie Pop-Rock em Portugal. Os seus singles «Morning Sun» e «Backyard Girl» atingiram até ao momento mais de 1,5 milhões de visualizações no YouTube e fizeram os primeiros lugares dos tops de rádios nacionais. Em Loulé vão apresentar ainda, em absoluta estreia algarvia, «Love is a strange thing», o single que abre caminho ao terceiro disco já prometido pela banda para os próximos meses.

0 comentários:

Enviar um comentário