Portimão é oficialmente candidata a Cidade Europeia do Desporto em 2019


Teve lugar, no dia 25 de maio, no salão nobre dos Paços do Concelho de Portimão, a cerimónia de candidatura de Portimão a Cidade Europeia do Desporto em 2019, com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes; do Presidente da ACES Portugal (Associação Portuguesa das Cidades Europeias do Desporto), Nuno Santos; do Diretor Regional do IPDJ (Instituto Português do Desporto e da Juventude) Custódio Moreno; e da Vereadora do Desporto e Juventude da Câmara de Portimão, Ana Fazenda. A candidatura ficou oficializada com a entrega, por parte de Isilda Gomes, do Questionário – um documento onde estão contempladas as respostas a uma bateria de questões formuladas pela ACES Portugal, tendo recebido, em troca, das mãos de Nuno Santos, a placa oficial que assinala a candidatura do Município.
No seu discurso, o Presidente da ACES Portugal realçou que, uma vez que o objetivo deste evento é aumentar a taxa de participação desportiva das pessoas, o Município de Portimão tem um enorme potencial para receber este evento, dada a qualidade extrema das suas infraestruturas e equipamentos desportivos e a pujança do seu movimento associativo. Referiu ainda que Portimão não parte em desvantagem face a Cascais, a outra cidade candidata, pelo facto de ser um município mais pequeno, dando o exemplo de Gondomar ter superado, em 2017, a oponente Coimbra.
O Diretor Regional do IPDJ, Custódio Moreno, demonstrou enorme confiança na equipa da Câmara Municipal de Portimão, no seu know-how e na sua experiência, para trazer esta distinção para outra cidade algarvia, depois de Loulé, em 2015. Realçou a quantidade e qualidade das infraestruturas desportivas do concelho, casos do Autódromo Internacional do Algarve, onde poderão ser realizados os desportos motorizados; da frente ribeirinha e as praias, ideais para a prática de todos os desportos náuticos; e dos vários estádios de futebol, desporto abrilhantado pela subida do Portimonense à primeira liga do futebol nacional. “O apoio financeiro do IPDJ a esta iniciativa, por norma na ordem dos 100 mil euros, poderá vir a ser reforçado em função do programa desportivo que for apresentado”, revelou Custódio Moreno, comentando ainda o facto de dois clubes portimonenses já se terem candidatado ao PRI – Programa de Requalificação das Infraestruturas Desportivas.


Quanto a Isilda Gomes, fez questão de realçar que, ao contrário do que se tem falado, “esta candidatura não implica obras nem eventos faraónicos”, pelo que não será feito qualquer esforço financeiro substancial por parte da autarquia. “Portimão tem um orçamento para o desporto e a câmara assinou, ainda recentemente, contratos-programa com vários clubes e associações desportivas. Caso a candidatura do município saia vencedora, em 2019, o orçamento municipal será reforçado e as associações que se candidatarem a apoios da Câmara terão de se comprometer com iniciativas concretas no âmbito da Cidade Europeia do Desporto”, explicou.
A autarca sublinhou que esta iniciativa resulta, sobretudo, do esforço e compromisso do movimento associativo portimonense e que o objetivo da Câmara Municipal é que haja “uma mobilização global da sociedade portimonense em torno desta candidatura”. “Portimão já demonstrou no passado, em inúmeras ocasiões, estar preparado para receber eventos deste calibre, como aconteceu recentemente com a Taça do Mundo de Ginástica Rítmica, que foi considerada umas das mais bem-organizadas da história da competição”. Lembre-se ainda que Portimão vai ser também palco, em setembro, dos Eurovision Sports, evento que reunirá participantes de onze países para competir em 12 modalidades. 
Os títulos de Capital e Cidades Europeias do Desporto são atribuídos anualmente pela ACES Europe – o primeiro distingue uma capital de um país europeu ou cidade com mais de 500 mil habitantes; o segundo é atribuído a cidades europeias entre os 25 mil e os 500 mil habitantes. A ACES Portugal foi criada para apoiar a promoção das candidaturas provenientes das autarquias portuguesas, o que já sucedeu em seis ocasiões: Guimarães (2013); Maia (2014); Loulé (2015); Setúbal (2016); Gondomar (2017); e Braga (2018). Portimão concorre a 2019 com o Município de Cascais, sendo a decisão final de atribuição desta distinção conhecida em janeiro do próximo ano.