Albufeira já está na Rota da Via Algarviana


No dia 2 de junho, o presidente da Câmara Municipal de Albufeira, Carlos Silva e Sousa, e o vice-presidente da associação ambientalista Almargem, Joaquim Mealha, assistiram à colocação do painel informativo referente ao percurso que liga Albufeira à Via Algarviana, numa extensão de 29 quilómetros que podem ser percorridos a pé ou de bicicleta. O painel está colocado junto ao Posto Municipal de Turismo de Albufeira, à entrada da cidade, onde também se encontra a joelette, uma bicicleta todo-o-terreno que poderá ser requisitada por pessoas com mobilidade reduzida. “Temos apostado fortemente no turismo acessível, eliminando barreiras arquitetónicas e adquirindo equipamentos como esta bicicleta ou como as cadeiras anfíbias que temos em todas as praias do concelho”, destacou Carlos Silva e Sousa.


O percurso pedestre começa no Posto de Turismo, passa pela estação de caminho-de-ferro de Ferreiras até à aldeia de Centieira, cruza-se com os três percursos já existentes em Paderne (Castelo, Cerro Grande e Cerro de São Vicente) e termina em Alte, onde se liga à Via Algarviana. O troço foi implementado em conjunto com a Almargem e com o município de Loulé, “que custeou os sete quilómetros que passam pelo seu concelho, demonstrando uma vez mais que todos trabalhamos em cooperação para um Algarve melhor”, salientou o presidente da Câmara de Albufeira, explicando ainda que “esta ligação vem enriquecer a Via Algarviana e todos os concelhos por onde esta passa, ligando o litoral ao interior e mostrando o Algarve como um todo”.
O percurso representou um investimento a rondar os 35 mil euros, que poderão vir a ser financiados por fundos europeus, dependendo da aprovação da respetiva candidatura. Refira-se que a Autarquia já havia investido cerca de 50 mil euros na requalificação dos três percursos pedestres de Paderne, 60 por cento dos quais foram comparticipados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). Joaquim Mealha explicou que a Via Algarviana liga Alcoutim ao Cabo de São Vicente ao longo de 300 quilómetros, “beneficiando muito com a ligação a outros concelhos, a locais com pessoas, que irão ajudar a promover a região”. O representante da Almargem defende que a implementação de percursos pedestres incentiva a abertura de comércio, alojamento e restauração, dinamizando a economia. “Além da restauração e da hotelaria, queremos valorizar a envolvente económica através do artesanato e dos produtos regionais”, rematou.