Alcoutim prestou homenagem aos Militares do concelho que combateram na Guerra Colonial


No Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, dia 10 de Junho, a Câmara Municipal de Alcoutim prestou homenagem aos Militares do concelho que combateram na Guerra Colonial. A cerimónia, com cerca de 300 inscritos, teve lugar na Praça da República, em Alcoutim, e incluiu o hastear da Bandeira Nacional, o descerramento do monumento, a deposição de coroa de flores, Honras Militares, intervenções oficiais do Arquiteto Victor Brito; do Tenente-Coronel Jorge Manuel Marques Pereira, Presidente da Comissão Administrativa do Núcleo de Vila Real de Santo António dos Combatentes; do Presidente da Comissão de Honra, Tenente - Coronel António Marques Romeira Matias; e do Presidente da Câmara Municipal de Alcoutim, Osvaldo dos Santos Gonçalves. Seguiu-se a entrega de placa alusiva ao monumento a todos Combatentes do Concelho de Alcoutim e execução do Hino Nacional, após o qual houve lugar a um beberete no castelo da vila.
O monumento situa-se na Praça da República e é composto por pedra negra, simbolizando a guerra, o desconhecido, o perigo e o continente africano. O rasgo abrupto da pedra negra faz surgir a pedra branca, simbolizando a pureza, o amor e o desejo de liberdade. No monumento encontram-se gravados os nomes dos 12 militares que tombaram em campanha, assim como três rostos de soldados que representam os três ramos das Forças Armadas. Inscrito na pedra está também o mapa do continente africano e do sul da Europa, onde se encontram com destaque os países onde a guerra decorreu – Angola, Moçambique e Guiné, e a localização de Portugal. 


Foi uma justa homenagem aos que serviram a Pátria num determinado momento da história nacional e que, de uma forma altruísta e também ingénua, participaram numa guerra que deixou marcas muito vincadas nos próprios, nas famílias, em Portugal e nos países onde foi travada. O momento vai repetir-se anualmente, no Dia do Combatente, sendo simbolicamente colocada um coroa de flores para “reconhecer o esforço, sacrifício e dedicação de todos aqueles que, num período particularmente difícil da nossa história, deram o seu suor, sangue e lágrimas em nome da Pátria”, frisou o Presidente da Câmara Municipal de Alcoutim, Osvaldo Gonçalves.
A cerimónia, organizada pelo Município de Alcoutim em colaboração com a Comissão de Honra e colaboração da Liga de Combatentes – Núcleo de Vila Real de Santo António, contou com a presença de Núcleos da Liga de Combatentes, Associação de Fuzileiros do Algarve, Associação dos Deficientes das Forças Armadas, do autor da obra de homenagem, Arquiteto Victor Manuel Guerreiro de Brito e a bênção do memorial aos doze militares do concelho falecidos na Guerra Colonial foi feita pelo Vigário geral da Diocese do Algarve e Capelão Militar César Chantre.

1 comentário:

  1. A que salientar que a mesma Cerimônia tornou se ainda mais emblemática com a presença de uma Guarda de Honra constituida por 10 militares do Exército e pela Banda Musical Castromarinense que nao sendo uma Banda Militar desempenhou com muito mérito os Toques Militares da cerimônia.

    ResponderEliminar