Baby Lores & Luís são um sucesso e já sonham com um Grammy Latino


Depois de 12 anos à frente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, para além do desempenho de outros cargos em Portugal e além-fronteiras, Luís Gomes prepara-se para abraçar novos desafios e um deles até ganhou um mediatismo inesperado. Falamos da faceta de compositor e cantor romântico do ainda autarca vila-realense, com o duo Baby Lores & Luís a ganhar cada vez mais fãs um pouco por todo o país. E, no dia 15 de junho, vamos poder comprovar esta euforia com o concerto inserido nas Festas da Cidade de Olhão.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Adrián

A agenda de Luís Gomes já estava bastante preenchida, quase sem tempo para respirar, dividida entre as suas responsabilidades como presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António e como membro da Comissão de Cidadania, Governação e Assuntos Institucionais e Externos do Comité das Regiões da União Europeia. Para trás já tinha ficado a liderança do PSD/Algarve, o tempo simplesmente não dava para tudo, mas, desde 2016, os dias de Luís Gomes ficaram ainda mais agitados, muito por culpa do projeto de reggaeton «Baby Lores & Luís», onde mostra a sua vertente musical e dá a conhecer o seu lado mais romântico.
Um sucesso que não surpreendeu quem conhece Luís Gomes desde gaiato, pois a música sempre fez parte das rotinas lá de casa. Isto porque o pai tocava da Banda Filarmónica de Castro Marim e, desde os quatro, cinco anos, o pequeno Luís não perdia um ensaio ou atuação. Não admirou, por isso, que começasse a aprender a tocar o solfejo e o órgão bastante cedo, numa escola que havia em Vila Real de Santo António. “Foi uma experiência muito bonita e, quando gostamos realmente da música, jamais nos conseguimos distanciar dela. Trabalho a ouvir música, conduzo a ouvir música, estudo a ouvir música. Ela é uma constante no meu dia-a-dia”, assume Luís Gomes.
Em jovem cantava também no coro na igreja, onde tocou guitarra até há pouco tempo. Curiosamente, quando chegou à adolescência, não ingressou nas habituais bandas de garagem ou de liceu, focou-se por completo nos estudos. “A música sempre foi um hobby para mim e só ganhou maior expressão quando aceitei o desafio do Baby Lores, que é um cantor bastante conceituado na América Latina, para gravar um disco com ele. Foi o acordar do bichinho numa altura bastante específica da minha vida, uma vez que estou a terminar o terceiro mandato à frente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António e não me posso recandidatar”, explica o entrevistado.
Um novo ciclo que surgiu de forma casual, por ocasião de um espetáculo que Baby Lores veio dar a Vila Real de Santo António. “Tenho por hábito assistir aos ensaios dos artistas que atuam no concelho, ele apanhou-me a cantar um dos seus temas e imediatamente convidou-me para fazermos um ou duas músicas em conjunto. Assim fizemos, teve um grande impacto e, hoje, temos uma agenda bastante interessante de concertos por todo o país”, conta Luís Gomes, garantindo que não pauta as decisões que toma na sua vida por questões de imagem ou daquilo que os outros possam pensar ou não dele. “O meu objetivo é ser feliz e fazer tudo com ética e dignidade. Não estou a beliscar a minha dignidade, nem a dos meus conterrâneos, que confiaram em mim nas últimas eleições, por estar a cantar. Aliás, em Vila Real, sente-se uma autêntica loucura com as minhas músicas”.