CCMAR é o único parceiro português em dois projetos europeus de Aquacultura


O CCMAR é o único parceiro português a participar em dois projetos de grande importância na área da Aquacultura no Mediterrâneo. Os investigadores do Centro de Ciências do Mar da Universidade do Algarve estarão ligados, nos próximos anos, a peritos de vários países e tentarão com estes dois projetos melhorar um setor que não está a dar resposta ao mercado de consumo, uma vez que a Europa consome, atualmente, o dobro de peixe que produz, uma lacuna que tem vindo a ser colmada por via de importações.
Apesar deste facto, a Aquacultura contribui com apenas 20 por cento da produção, empregando diretamente cerca de 85 mil pessoas, maioritariamente em zonas costeiras e rurais. Em contraste com o desenvolvimento observado noutros países mediterrânicos não europeus, a produção em Aquacultura está a estagnar na Europa, o que levou mesmo a Comissão Europeia a definir como objetivo o aumento da produção do setor.  
O projeto PerformFISH foca-se no desenvolvimento da produção em aquacultura, orientada para o consumidor, integrando abordagens inovadoras, que ajudem a assegurar a competitividade e sustentabilidade do setor de produção de dourada e robalo. O projeto MedAID (Mediterranean Aquaculture Integrated Development) é considerado projeto irmão do PerformFISH, arrancou em maio e tem como objetivo melhorar a produção aquícola no Mediterrâneo.   
O PerformFISH, coordenado pela University of Thessaly, na Grécia, tem um financiamento de sete milhões de euros (Comissão Europeia - H2020). Neste projeto, o CCMAR é um dos 28 parceiros que fazem parte da equipa, oriunda de dez países diferentes. O arranque dos trabalhos aconteceu em maio, na Grécia, numa reunião onde participaram 72 investigadores e empresários do setor. A participação da indústria é, de resto, um dos focos deste projeto, que junta também associações de produtores da Grécia, Espanha, Itália, França e Croácia.  
Cinco anos é a duração do projeto que trabalhará para assegurar um crescimento sustentável da indústria aquícola, baseando-se na perceção do consumidor e demanda do mercado. O projeto pretende ajudar empresários a operar não só em condições económicas e ambientais ideais, mas também de um modo social e culturalmente responsável.  
O MedAID iniciou-se também em maio e vai desempenhar um papel muito importante na identificação de fatores de sucesso para aumentar o crescimento da produção aquícola. Ao trabalhar lado a lado com a indústria e as partes interessadas no setor, vai propor novas práticas, ferramentas inovadoras e soluções práticas para os desafios que é necessário ultrapassar, com vista ao aumento do setor e da produtividade. 
O projeto recebeu um financiamento de sete milhões de euros da Comissão Europeia, através do fundo H2020, e é coordenado pelo Mediterranean Agronomic Institute of Zaragoza, em conjunto com o Institute of Agrifood Research and Technology of Catalonia (IRTA). O CCMAR é um dos parceiros, de entre os 30 que participam no projeto, de 12 países diferentes.