História dos louletanos na Revolução do 25 de abril apresentada na Biblioteca Municipal de Loulé


Em mais uma sessão de «Livros Abertos», Raquel Varela e Luísa Barbosa Pereira apresentam, no dia 17 de junho, pelas 17h30, na Biblioteca Municipal Sophia de Mello Breyner Andresen, em Loulé, o livro «A História do Povo de Loulé na Revolução Portuguesa 1974-75».
No dia 25 de abril de 1974, um golpe levado a cabo pelo Movimento das Forças Armadas, em discórdia com a guerra colonial que durava há treze anos, pôs fim a uma ditadura de 48 anos – que começara por ser militar, depois fora dirigida por Salazar e, finalmente, depois de 1968, por Marcelo Caetano. A revolução portuguesa foi marcada pelo protagonismo político de um forte movimento operário e social que atingiu todos os setores da sociedade, em particular o movimento operário, e caracterizou-se por conflitos sociais muito radicalizados entre os estudantes, o moderno setor laboral dos serviços, o setor informal, uma ampla participação das mulheres e dos setores intermédios e de base das forças armadas.
De imediato, e contra o apelo dos militares que dirigiram o golpe – que insistiam pela rádio para as pessoas ficarem em casa –, milhares de pessoas saíram e lutaram, sobretudo em Lisboa e no Porto, mas não só. A conflitualidade social em Portugal em 1974-75 teve amplitude nacional, tendo chegado a diversas áreas do País, incluindo o Concelho de Loulé. Esta é a história que se pretende contar, a história do povo de Loulé no biénio revolucionário de 1974-1975.
Raquel Varela é historiadora. As suas áreas de estudo são História da Revolução dos Cravos, História do trabalho e História do Estado social. Luísa Barbosa Pereira é cientista social. As suas áreas de estudo são, entre outras, sociologia do trabalho, história do movimento operário e da Revolução dos Cravos.