Quatro corporações algarvias vão formar 34 novos bombeiros em Loulé


Com o objetivo de aumentar e renovar os seus efetivos, os Corpos de Bombeiros de Faro, Loulé, Olhão e Tavira iniciaram, no dia 5 de junho, um projeto pioneiro em Portugal, congregando esforços para a realização de uma recruta conjunta de formação de 34 novos bombeiros municipais. A ação tem lugar, até final do ano, na Escola Secundária de Loulé, com uma duração de 995 horas e sob a responsabilidade da Escola Nacional de Bombeiros.
Durante a sessão oficial de abertura do curso, que aconteceu logo pela manhã do dia 6 de junho, Alexandre Costa, diretor da Escola Secundária de Loulé, afirmou que os estabelecimentos de ensino devem estar vocacionados para todo o serviço público e não apenas aquele diretamente associado à Educação. “Os bombeiros são uma instituição de referência em Portugal e são aqueles que merecem mais carinho da parte da população em geral. São uma classe que nos dignifica a todos enquanto portugueses e que serve de exemplo a toda a sociedade”, referiu, dai que a possibilidade de ceder as instalações da Secundária de Loulé para a realização da formação tenha sido prontamente aceite. “É possível que o curso vá gerar alguns constrangimentos junto da população escolar, mas os bombeiros merecem o melhor porque, na hora da verdade, estão dispostos a dar a vida por nós”, justificou o diretor.

Alexandre Costa, diretor da Escola Secundária de Loulé, Jorge Botelho, presidente da Câmara Municipal de Tavira, Vítor Aleixo, presidente da Câmara Municipal de Loulé, Paulo Santos, vice-presidente da Câmara Municipal de Faro e José Ferreira, presidente da Escola Nacional de Bombeiros

A presença diária dos recrutas na Escola Secundária de Loulé poderá, entretanto, servir de estímulo a alguns jovens louletanos para que decidam abraçar esta causa, considerou José Ferreira, presidente da Escola Nacional de Bombeiros. “Os bombeiros têm que ser homens e mulheres preparados para dar resposta a riscos naturais, tecnológicos, a problemas sociais, entre outros, e estes recrutas vão beneficiar de uma formação longa. No final, quando forem chamados a intervir, vão fazê-lo, certamente, com o melhor conhecimento e a maior competência. Competência para ajudar a quem de nós precisa, mas também para defenderem as suas próprias vidas”, sublinhou José Ferreira.
Uma formação de grande exigência, que implicará bastante trabalho, mas um treino difícil resulta num combate fácil, mensagem que deixou aos comandantes das quatro corporações envolvidas neste curso. “Com o vosso acompanhamento, através da vossa experiência, do vosso saber e traquejo, das vossas rotinas, acredito que, em dezembro, todos estaremos de parabéns. Este processo foi quase tratado à velocidade da luz e conseguimos montar o sistema num período de tempo relativamente curto, cumprindo com todos os procedimentos necessários”, destacou ainda o presidente da Escola Nacional de Bombeiros. “Em conjunto, todos poderemos fazer melhor”.
Satisfeito pela forma célere e eficaz como tudo decorreu estava igualmente Paulo Santos, vice-presidente da Câmara Municipal de Faro. “Este rejuvenescimento vai, sem dúvida alguma, trazer maior operacionalidade e eficiência ao nosso Corpo de Bombeiros”, indicou o autarca, palavras partilhadas por Jorge Botelho, presidente da Câmara Municipal de Tavira e da AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve. “Todos precisávamos de bombeiros, os municípios abriram concursos, a seleção foi feita e agora tem início esta importante fase de formação. É uma profissão de grande respeito, dignidade e sacrifício”, frisou o edil tavirense.


Recorde-se que o curso estava previsto acontecer em Lisboa, mas a união de esforços destas quatro câmaras municipais e corporações possibilitou a sua realização no Algarve, e a menores custos. “As corporações de bombeiros da região precisam de vocês e de outros e este processo de rejuvenescimento vai continuar, porque queremos uma proteção civil cada vez mais eficaz”, adiantou ainda Jorge Botelho.
A finalizar as intervenções das entidades oficiais, Vítor Aleixo voltou a enaltecer a importância e o reconhecimento público que são dispensados aos bombeiros. “Tenho as maiores esperanças e expetativas que esta formação de seis meses possa trazer um contributo importantíssimo para o Algarve. A função do bombeiro é indispensável à sociedade e provavelmente não haverá nela figuras sociais tão respeitadas e admiradas como vocês. Para que cumpram bem as vossas funções, é imperativo que tenham uma elevada competência técnica, que se preparem, que se exercitem, que adquiram conhecimentos, e é disso que aqui estamos a tratar hoje”, concluiu o presidente da Câmara Municipal de Loulé.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina

0 comentários:

Enviar um comentário