«A Herança Nazi» confirma talento de Pedro Inocêncio


Depois do sucesso do romance de estreia «Tudo acontece por uma razão», Pedro Inocêncio tem novo livro no mercado, desta vez um thriller histórico cujo enredo envolve Adolf Hitler, António Salazar e o Papa Pio XII. Uma história vivida a um ritmo frenético, com constantes mudanças de cenário e personagens, prendendo o leitor da primeira à última página e deixando-nos à espera de novas aventuras de Pedro Inocêncio, que até podem surgir já em 2018. 

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina

«A Herança Nazi» é uma história de suspense perturbadora e desconcertante que conta as aventuras de Afonso Mendes, um pacato médico voluntário da AMI que, de repente, é transportado para o meio de uma trama internacional passada nos finais da Segunda Guerra Mundial e que tem como personagens centrais o líder nazi Adolf Hitler, o homem forte do Estado Novo António de Oliveira Salazar e o Papa Pio XII. O enredo é da autoria de Pedro Inocêncio, um professor de Educação Física natural de Elvas, mas a residir em Faro há 28 anos, com quem já nos tínhamos cruzado no seu tempo de cantor e compositor de músicas nos projetos «Flash» e «Move» “Desde os 25 anos que sou um leitor compulsivo e nessa altura já escrevia as letras das canções das bandas por onde passei. Há três anos, estava a chegar à fasquia dos 40, e decidi fazer qualquer coisa diferente. Uma notícia insólita num jornal deu-me a ideia para o primeiro capítulo do «Tudo acontece por uma razão» e aqui estamos”, conta o alentejano, à conversa junto à Doca de Faro.
Quando o romance de estreia ia sensivelmente a meio, pediu a opinião a uma amiga, Sónia Pinto, professora de português, que o incentivou imediatamente a seguir em frente. “Escrever é algo que faço com imenso prazer, criar uma realidade paralela, sermos nós a mexer nos cordelinhos do mundo. Enviei um e-mail tipo para várias editoras e tive logo muitas propostas, o que me surpreendeu porque, na música, estava habituado a nunca ninguém nos responder”, lembra, com um sorriso. A escolha para lançar o livro, em novembro de 2015, recaiu sobre a «Chiado Editora», as apresentações sucederam-se em Faro, Lisboa e Elvas e a crítica deu o seu aval positivo, assim como o público em geral, com mais de 20 mil fãs a seguirem atentamente a sua página do Facebook.
Entretanto, ainda «Tudo acontece por uma razão» não tinha visto a luz do dia e já estava na forja «A Herança Nazi», passando de um thriller moderno para um romance mais histórico, cuja trama começa no passado até desembocar no presente. “Fala de uma suposta farsa que envolve a morte de Adolf Hitler e segundo a qual ele terá fugido para a Argentina. Achei mais engraçado que ele tivesse escapado para Portugal e o livro aborda uma conspiração entre as forças nazis, Salazar e o Papa Pio XII que traz um segredo bastante inconveniente para o presente”, desvenda Pedro Inocêncio, adiantando que é este género de literatura que mais o atrai enquanto leitor. “Não gosto de capítulos demasiado longos e enfadonhos. Os meus são curtos, com mudanças constantes de personagens e uma forte dinâmica que mantém o leitor num suspense contínuo que só termina no fim do livro. O meu objetivo é que as pessoas fiquem na dúvida, porque Portugal recebeu 395 toneladas de ouro da Alemanha Nazi e não se sabe muito bem por que motivo”.