30.ª ARTE DOCE foi um sucesso


Este ano assinalaram-se as 30 edições da Feira Concurso Arte Doce, tendo a primeira acontecido, em 1987, por iniciativa da Câmara Municipal de Lagos, com o objetivo de recuperar e revitalizar uma expressão do património cultural imaterial que, à data, corria o risco de se perder. Desde então, o certame foi mantido e, graças a isso, assistiu-se a um incremento extraordinário do interesse por esta atividade tradicional, do número de pessoas que se dedicam à mesma, assim como do carinho e respeito que a população e os visitantes têm por esta arte.
A escolha de uma temática em cada edição, para desafio à criatividade das doceiras, foi introduzida em 1989, constituindo uma especificidade deste certame. «Flores e Plantas do Algarve» foi o tema de 2017 e, como já era esperado, concorreram trabalhos de grande sensibilidade estética e criativa. O tema foi também o mote para a animação que decorreu ao longo dos três dias de Feira: animação cultural para o público em geral e para o público infantil; duas exposições (uma de Vestidos de Chita – confecionados por alunos da Universidade Sénior de Lagos e outra sobre Plantas e Usos Medicinais Populares, cedida pela Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueológico de Aljezur), ambas enquadradas no tema desta edição; ateliês e demonstrações, quer de doçaria, quer de arte floral.


Milhares de visitantes testemunharam o que de mais doce Lagos tem para oferecer, tendo para isso muito contribuído a qualidade e atratividade dos expositores participantes, com destaque para a doçaria, que foi a grande estrela do certame, mas também houve exposição e venda de muito artesanato, outros produtos alimentares, e a presença de empresas/entidades diversas. Na parte do recinto ao ar livre estiveram em realce as tasquinhas a complementar a Feira e o palco principal, por onde passaram alguns dos mais conceituados artistas do panorama musical nacional, nomeadamente Ana Moura, Dengaz e Ala dos Namorados.
No dia 30 de julho, decorreu a cerimónia de entrega de prémios aos vencedores do Concurso ARTE DOCE, tendo sido igualmente conhecidos os trabalhos vencedores do Concurso de Poesia «Avós e Netos», promovido pela autarquia.


PREMIADOS ARTE DOCE 2017

♦ CONCURSO ARTE DOCE
Grande Prémio: Os Docinhos da Gena (Eugénia Militão)
(melhor conjunto de trabalhos apresentados nas categorias tema livre e tema obrigatório)

Tema Obrigatório
1.º lugar: Cantinho Doce da Fernanda (Maria Fernanda Lourenço)
2.º lugar: Bolo Doce
3.º lugar: Miminhos da Lucinda (Maria Lucinda Ferro)

Tema Livre
1.º lugar: Os Docinhos da Gena (Eugénia Militão)
2.º lugar: Barão Doce (Andreia Gomes)
3.º lugar: Atelier dos Sabores (Tânia Isabel Joaquim)

♦ CONCURSO QUALIDADE na TRADIÇÃO
Melhor Doce Fino: Rumo ao Campo, Unipessoal, Lda.
Melhor Doce de Figo: Sandra Santos
Melhor Morgado: Patrícia Cintra
Melhor D. Rodrigo: Graça Carvalho

♦ PRÉMIO «ESCOLHA do PÚBLICO»
Tema Obrigatório: Lucília Baptista
Tema Livre: Lucília Baptista

VENCEDORES do CONCURSO de POESIA «AVÓS e NETOS»

1.ºs Classificados
Categoria Avós: Violinda Pinheiro Rosa (87 anos) / Poema «Avós e Netos»
Categoria Netos: Diogo Lima (14 anos) / Poema «O pão-de-ló da minha bela avó»
2.ºs Classificados
Categoria Avós: José Francisco Rodrigues (62 anos) / Poema «Ser avô é ser pai duas vezes»
Categoria Netos: António Camilo (12 anos) / Sem título
3.ºs Classificados
Categoria Avós: Maria Pacheco da Costa (75 anos) / Poema «Avó que foste uma mãe»
Categoria Netos: Rodrigo Silva (10 anos) / Poema «Os meus quatro avós»