Luís Gomes defende inovação social para combater desemprego jovem e de longa duração


O presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Luís Gomes, defendeu, no dia 31 de março, no Comité das Regiões da União Europeia, em Bruxelas, que os projetos de inovação social podem constituir importantes instrumentos para o combate ao desemprego jovem, para a inclusão de pessoas com maiores dificuldades em entrar no mercado de trabalho e para a revitalização de territórios mais periféricos. Esta foi uma das propostas do autarca vila-realense ao projeto de parecer «A inovação social como novo instrumento de criação de crescimento e emprego», apresentado na Comissão da Política Social, Educação, Emprego, Investigação e Cultura (Sedec) do Comité das Regiões, da qual faz parte.
Para o Comité das Regiões, os atuais desafios sociais têm um caráter transfronteiriço e, na Europa, acabam frequentemente por ter de ser enfrentados pelos órgãos de poder local e regional. Por isso mesmo, Luís Gomes considera que a inovação social desempenha um papel importante no fomento da coesão social, económica e territorial, sendo recomendável que a UE tenha um papel facilitador e de ligação e faça uma articulação pragmática entre os diversos níveis de governação.
Tendo em mente que a inovação social constitui um instrumento decisivo para fazer face aos atuais desafios sociais e para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos europeus, Luís Gomes propõe que os projetos socialmente inovadores devem ser combinados com suportes tecnológicos, pois produzem melhores soluções para os cidadãos, e têm maiores impactos na sociedade e na economia em geral. Esta exigência é tanto maior, uma vez que existe hoje, por parte dos cidadãos, um nível de exigência superior, ao mesmo tempo que as suas qualificações são mais elevadas, pelo que pretendem cada vez mais melhorar os seus padrões de qualidade de vida. Da mesma forma, Luís Gomes relembra o papel que a economia social pode desempenhar nesta conjuntura, uma vez que o setor representa uma oportunidade de crescimento e de combate à crise económica e é atualmente responsável por 14 milhões de postos de trabalho no contexto europeu e por 10 por cento dos negócios na Europa.
Para o também autarca, que já apresentou à Comissão Europeia diversas recomendações no domínio da economia social, o reforço das ferramentas de literacia tecnológica são igualmente instrumentos importantes para combater o desemprego de longa duração nas gerações mais velhas, onde o cenário de desemprego de longa duração e as dificuldades de reingresso ao mercado de trabalho são fenómenos sociais crescentes.