Faro vai respirar ténis durante 12 dias


O Centro de Ténis de Faro e a Junta de Freguesia do Montenegro levam a cabo, de 24 de fevereiro a 4 de março, o 27.º «Faro Future Portugal 2», torneio com prize money de 15 mil dólares a contar para o ranking mundial do ATP Tour e que, pela primeira vez na sua história, terá a final transmitida em direto pelo Sport TV. A novidade foi dada por José Rosa Nunes, presidente da direção do Centro de Ténis de Faro e da Associação de Ténis do Algarve durante a conferência de imprensa que teve lugar na manhã do dia 14 de fevereiro.

Por estes dias vai-se jogar ténis ao mais alto nível na freguesia do Montenegro, com mais de 200 atletas de 40 nacionalidades, com Portugal (44) e Espanha (43) à cabeça, mas a ação arranca logo a 21 de fevereiro, com um Pré-Qualifying disputado pelos tenistas que não entrarem diretamente para o quadro de participantes. “Estes torneios «Future» foram criados por mim há 27 anos e houve uma altura em que até se realizaram os três eventos todos em Faro, mas a situação era impossível de manter por muito tempo. Felizmente foi possível dividir as provas por outros clubes do Algarve, repartindo-se, atualmente, por Vale do Lobo, Loulé e Faro”, explicou o Diretor da Prova, acrescentando que a etapa farense dos «Future Portugal» é a segunda a ter lugar neste périplo pela região algarvia. “A maioria dos jogadores vem apenas por duas semanas, inscrevendo-se nas duas primeiras ou nas duas últimas. Deste modo, Faro apanha com toda a gente, o que faz com que nem todos possam competir”, observou o professor.

José Rosa Nunes, Paulo Santos, Steven de Sousa Piedade e Custódio Moreno
De facto, o limite máximo num torneio «Future» definido pela International Tennis Federation é de 160 atletas, de acordo com o ranking mundial, número que rapidamente foi ultrapassado, pelo que o Centro de Ténis de Faro decidiu criar um Pré-Qualifying que atribuirá dois wild cards, um para o quadro principal, outro para o Qualifying. “É uma oportunidade inclusive para aqueles que, entretanto, já foram eliminados do torneio de Vale do Lobo. Serão 12 dias importantes para o ténis nacional, para o Centro de Ténis de Faro e para a economia local”, antevê José Rosa Nunes.

A garantir que tudo corra pelo melhor está um staff de 20 pessoas, onde se incluem um juiz árbitro internacional Silver Badge e seis árbitros internacionais White Badge, mas também um médico e um fisioterapeuta, dois condutores para transportarem os atletas do hotel para o recinto desportivo e até dois seguranças, uma nova realidade em relação aos anos anteriores. “Teremos uma zona reservada para os jogadores no primeiro andar do clube, devido ao crescente perigo de aliciamento dos atletas em virtude das apostas online”, justificou, antes de realçar novamente a grande novidade da 27.ª edição do Faro Future Portugal 2, a transmissão em direto da final pela Sport TV, graças ao patrocínio da Câmara Municipal de Faro.

Quanto aos tenistas, José Rosa Nunes destacou o primeiro cabeça de série, Gonçalo Oliveira, natural do Porto mas que faz questão de competir pelas cores do Centro de Ténis de Faro. “É o jogador que mais torneios ATP fez em 2017, mais de 40, nunca se lesionou. Tem uma caravana e passa a vida a viajar de prova em prova, juntamente com o pai. É um dos nossos melhores tenistas da atualidade, joga em Challengers e está no número 203 do ranking mundial”, sublinhou o Diretor da Prova, aproveitando igualmente para agradecer o apoio da Junta de Freguesia do Montenegro e da Câmara Municipal de Faro, bem como do Instituto Português do Desporto e Juventude. “Estamos preparados para receber seja quem for e para mostrar o que há de melhor em Faro, nomeadamente em termos de ténis”, concluiu o presidente da Direção do Centro de Ténis de Faro.

A Junta de Freguesia do Montenegro abraçou este projeto desde a primeira hora, por ser “uma mais-valia evidente para o território”, nas palavras do presidente Steven de Sousa Piedade. “Durante estes 12 dias vamos ter a restauração, hotelaria e demais serviços cheios e os visitantes terão oportunidade para conhecer a freguesia, a cidade e o concelho. A Junta colabora em tudo o que está ao seu alcance, tanto em termos monetários como logísticos, e estamos na presença de uma prova de referência, a nível regional e nacional”, indicou o autarca. 


Por sua vez, Paulo Santos, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Faro, confirmou que o «Faro Future Portugal 2» é o principal evento desportivo que tem lugar no concelho de forma contínua, sobretudo pela presença de diversos atletas internacionais, o que justifica, por si só, o apoio da edilidade. “O Município esteve sempre ao lado do Centro de Ténis de Faro, mesmo nos anos de maior crise em que não lhe foi possível apoiar em termos financeiros. Apesar disso, a organização sempre conseguiu manter o torneio de ténis com um elevado padrão de qualidade”, apontou, adiantando que a contratação da cobertura televisiva do evento é importante face aos desafios que se avizinham, nomeadamente o aumento do prize money para os 25 mil dólares a partir de 2019, por imposição da ITF. “O torneio merece ter ainda maior notoriedade e a presença da televisão aumentará a sua exposição a quem não tem possibilidade de assistir às partidas ao vivo”.

O desporto será, de acordo com Paulo Santos, uma das apostas fortes da autarquia farense no presente mandato, seja através dos apoios financeiros aos clubes e associações, com regras perfeitamente estabelecidas, seja da recuperação dos equipamentos desportivos do concelho, tanto os municipais como os pertencentes aos próprios clubes. Requalificação que aconteceu igualmente no espaço do Centro de Ténis de Faro, em 2017, ao abrigo do PRID – Programa de Reabilitação de Instalações Desportivas, recordou Custódio Moreno, Diretor Regional do Instituto Português do Desporto e Juventude de Faro. “Organizar um evento desportivo qualquer pessoa consegue, manter a sua continuidade por muitos anos e com uma qualidade crescente como o «Faro Future Portugal 2» já não é para todos. E o Algarve não é apenas sol e praia, nem sequer é somente futebol. Em fevereiro temos a Volta ao Algarve em Bicicleta, o Cross das Amendoeiras em Flor de atletismo, a Algarve Cup de Futebol Feminino e o «Faro Future Portugal 2», que é a cereja em cima do bolo. Maior diversidade é difícil”, rematou Custódio Moreno.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina
| Designed by Colorlib