Header AD

header ads

«In Nomine Hominis... Pro Memoria Artis» patente no Centro de Interpretação de Vila do Bispo


O Centro de Interpretação de Vila do Bispo dedicou a tarde de 3 de junho à arqueologia, mais concretamente às diferentes manifestações artísticas expressas na cultura material da Pré-história e da Proto-história de Portugal. O mote foi proposto por Dinis Cortes, no âmbito da inauguração da sua exposição intitulada «In Nomine Hominis... Pro Memoria Artis», designação traduzível do latim para o português como «Em nome do Homem, em memória da Arte».

Patente no Centro de Interpretação até ao dia 15 de junho, trata-se de uma mostra fotográfica sobre o genérico tema «Arte Pré-histórica em Portugal». Assumindo uma abrangência de escala nacional, a exposição inclui diversos trabalhos relativos ao Algarve, com particular destaque para o território do atual concelho de Vila do Bispo, explorando o excecional tema local «Megalitismo e Menires da Pré-história». As propostas visuais encontram-se complementadas por uma narrativa expositiva de enquadramento cronocultural.

Além da apresentação da exposição, na primeira pessoa, pelo autor, a sessão contou com a presença de Manuel Calado, reconhecido Pré e Proto-historiador que tem dedicado grande parte da sua carreira de arqueólogo ao conhecimento da Cultura Megalítica, em particular dos menires do Alentejo Central. Para um melhor entendimento destas distantes realidades, e tratando-se de uma temática que ultrapassa as fronteiras do tempo e do espaço, com uma multiplicidade de manifestações à escala global, Manuel Calado assumiu como ponto de partida os contextos pré-históricos do seu Alentejo, expandindo a investigação a realidades análogas identificadas na Península Ibérica, por toda a Europa, chegando mesmo a outros continentes, destacando-se as suas explorações etnoarqueológicas junto de povos indígenas que ainda erguem, na atualidade, monumentos megalíticos no interior da Amazónia.

Não ficou, contudo, indiferente a regiões mais próximas, ao vizinho Barlavento Algarvio, reconhecendo nos menires de Vila do Bispo significativas marcas de grande antiguidade e de diferenciada identidade cultural. A Palestra teve precisamente por título «A Cobra de Pedra e o Sexo dos Anjos: uma leitura integrada da iconografia dos menires algarvios», numa iniciativa que contou com 23 participantes, nomeadamente da vereadora da Câmara Municipal de Vila do Bispo, Rute Silva, e Rui Parreira, da Direção Regional de Cultura do Algarve, entre outros interessados residentes no concelho e noutras localidades algarvias.
«In Nomine Hominis... Pro Memoria Artis» patente no Centro de Interpretação de Vila do Bispo «In Nomine Hominis... Pro Memoria Artis» patente no Centro de Interpretação de Vila do Bispo Reviewed by Daniel Pina on junho 05, 2018 Rating: 5

Publicidade