Full width home advertisement

Publicidade

Post Page Advertisement [Top]

«In Nomine Hominis... Pro Memoria Artis» patente no Centro de Interpretação de Vila do Bispo

«In Nomine Hominis... Pro Memoria Artis» patente no Centro de Interpretação de Vila do Bispo

O Centro de Interpretação de Vila do Bispo dedicou a tarde de 3 de junho à arqueologia, mais concretamente às diferentes manifestações artísticas expressas na cultura material da Pré-história e da Proto-história de Portugal. O mote foi proposto por Dinis Cortes, no âmbito da inauguração da sua exposição intitulada «In Nomine Hominis... Pro Memoria Artis», designação traduzível do latim para o português como «Em nome do Homem, em memória da Arte».

Patente no Centro de Interpretação até ao dia 15 de junho, trata-se de uma mostra fotográfica sobre o genérico tema «Arte Pré-histórica em Portugal». Assumindo uma abrangência de escala nacional, a exposição inclui diversos trabalhos relativos ao Algarve, com particular destaque para o território do atual concelho de Vila do Bispo, explorando o excecional tema local «Megalitismo e Menires da Pré-história». As propostas visuais encontram-se complementadas por uma narrativa expositiva de enquadramento cronocultural.

Além da apresentação da exposição, na primeira pessoa, pelo autor, a sessão contou com a presença de Manuel Calado, reconhecido Pré e Proto-historiador que tem dedicado grande parte da sua carreira de arqueólogo ao conhecimento da Cultura Megalítica, em particular dos menires do Alentejo Central. Para um melhor entendimento destas distantes realidades, e tratando-se de uma temática que ultrapassa as fronteiras do tempo e do espaço, com uma multiplicidade de manifestações à escala global, Manuel Calado assumiu como ponto de partida os contextos pré-históricos do seu Alentejo, expandindo a investigação a realidades análogas identificadas na Península Ibérica, por toda a Europa, chegando mesmo a outros continentes, destacando-se as suas explorações etnoarqueológicas junto de povos indígenas que ainda erguem, na atualidade, monumentos megalíticos no interior da Amazónia.

Não ficou, contudo, indiferente a regiões mais próximas, ao vizinho Barlavento Algarvio, reconhecendo nos menires de Vila do Bispo significativas marcas de grande antiguidade e de diferenciada identidade cultural. A Palestra teve precisamente por título «A Cobra de Pedra e o Sexo dos Anjos: uma leitura integrada da iconografia dos menires algarvios», numa iniciativa que contou com 23 participantes, nomeadamente da vereadora da Câmara Municipal de Vila do Bispo, Rute Silva, e Rui Parreira, da Direção Regional de Cultura do Algarve, entre outros interessados residentes no concelho e noutras localidades algarvias.

Bottom Ad [Post Page]