Full width home advertisement

Publicidade

Post Page Advertisement [Top]

Monumentos do Barlavento acolhem projetos artísticos de participação comunitária

Monumentos do Barlavento acolhem projetos artísticos de participação comunitária


No dia 9 de junho acontecem as ações «Linhas Cruzadas – Fio da memória # 1 Percorrer» no Castelo de Aljezur e «Dias das Virgens Negras» na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, em Vila do Bispo, dois projetos de dinamização e valorização dos monumentos que envolvem a participação das comunidades.

Pelas 10h30 inicia-se o ciclo «Linhas Cruzadas» – Fio da Memória # 1 Percorrer, no Castelo de Aljezur, um projeto da Tertúlia Associação Sócio – Cultural de Aljezur, com Leonor Morais e Conceição Gonçalves. É um projeto que trabalha o fio da memória – da memória escrita, oficial, da História, e da memória tecida de pequenas histórias, de lendas, de gestos quotidianos, que perduram na memória de alguns habitantes de Aljezur – confrontando-a com novas perspectivas, com olhares jovens, alguns ainda inocentes, através do convite à reflexão e criação em torno do tema «Património que Futuro?», o tema central do programa DiVaM.

A «performance» começa com um momento de partilha de histórias e memórias em torno do castelo, sendo convidadas várias pessoas com diferentes percursos de vida. Segue-se um momento dedicado ao desenho (ou outras formas gráficas), recorrendo a diferentes técnicas e um momento dedicado à recolha dos segredos/lembranças que serão entregues a todos os participantes. Haverá ainda uma caminhada até à Ribeira de Aljezur, onde se relembra a lenda do rio Lethes e lança-se ao rio um origami gigante com uma mensagem. A atividade tem a duração de cerca de três horas e meia e convidam-se todos os participantes a trazer roupa confortável, chapéu e pequeno lanche para picnic.


«Dias das Virgens Negras» encontra-se a decorrer na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe (Raposeira / Vila do Bispo) e, no dia 9 de junho, das 16h às 18h30, tem lugar a primeira oficina de cânticos «El Livre Vermell», com Carmen Juncadella. O projeto é da «O Corvo e a Raposa – Associação Cultural» e pretende ser uma homenagem artística às Virgens Negras no Mundo, particularmente a Virgem de Guadalupe e a Virgem de Montserrat, integrando uma série de eventos, nomeadamente workshops de artes plásticas, cânticos e movimento, culminando, no dia 16 de Junho, com um concerto encenado sobre o códice medieval El Libre Vermell de Monserrat.

O Manuscrito do El Llivre Vermell, datado de finais do século XIV, constitui uma espécie de manual que os padres produziram para acolher e guiar espiritualmente os numerosos peregrinos que ao Mosteiro da Virgem Negra de Monserrat se deslocavam. Os padres de Montserrat criaram danças e cantos com temática mariana, para assegurar que os momentos de albergue eram também orientados para a devoção à Virgem. As oficinas são gratuitas e estão sujeitas a inscrição: associacaoocorvoearaposa@gmail.com ou telm. 914016037.

Bottom Ad [Post Page]